Doenças de verão: saiba quais são e como evitá-las

Assim como acontece no inverno, a temporada de verão também favorece o surgimento de algumas doenças. As temperaturas altíssimas e as chuvas frequentes formam um cenário favorável à proliferação de mosquitos, bactérias e fungos, responsáveis pelas conhecidas doenças de verão.

Apesar do clima propício, ele não é o único responsável pelo desenvolvimento das doenças da temporada. A maior exposição ao sol e às águas, assim como o descuido com a higiene e com a procedência dos alimentos, são situações que impactam diretamente na saúde da população durante os meses de calor.

Pensando nisso, listamos abaixo as principais doenças de verão, seus sintomas e dicas para evitá-las. Confira!

Micoses

São infecções causadas por fungos e podem acometer de variadas formas a pele, os cabelos e as unhas. No verão, com a combinação de calor e umidade,  o desenvolvimento é favorecido entre todos os públicos. Apesar dos sintomas muito variados, a prevenção contra as micoses exige alguns cuidados em comum. Entre eles, a higienização e a remoção total da umidade pós banho das dobras do corpo, especialmente pés e virilha. Além disso, medidas como não permanecer com roupas molhadas e evitar o contato direto da pele com locais possivelmente contaminados também ajudam a evitar as micoses.

Otite externa

Também conhecida como dor de ouvido, a otite externa é uma infecção que acomete apenas a região da orelha externa. Ela é causada por bactérias e fungos e costuma ser mais frequente no verão, quando o contato com a água contaminada do mar, piscina e banho é maior. Os principais sintomas são dor intensa, perda de audição e secreção. Para evitar a otite externa, objetos contaminados não devem ser utilizados para coçar ou limpar a região da orelha e a higienização deve ser cuidadosa, com preferência para o uso de toalhas macias.

Desidratação

A desidratação acontece quando a concentração de água, sais minerais e líquidos orgânicos está baixa no organismo. Ela é mais comum no período das altas temperaturas, quando a ingestão de água é insuficiente, mas a transpiração é excessiva. Ela também pode surgir como uma consequência de outras doenças, como a insolação e a intoxicação alimentar. Os principais sintomas são sede excessiva e pele e boca secas. Para evitar a desidratação é preciso ingerir alta quantidade de água diariamente, proteger a pele dos raios solares e evitar a exposição excessiva ao sol e calor.

Insolação e queimaduras

A insolação é causada pelo excesso de exposição ao sol e ao calor. Ela ocorre quando a temperatura corporal ultrapassa os 40ºC e o corpo perde o controle sobre a própria transpiração e refrigeração. Os sintomas iniciais da enfermidade, que é bastante séria, são dores de cabeça, tontura, náusea e pele quente e seca. Já as queimaduras, que podem variar de leves a graves, são desenvolvidas pela exposição da pele ao sol sem nenhum tipo de proteção. Ambas doenças podem ser evitadas com cuidados diários, como a ingestão de muita água, exposição moderada ao sol e a proteção e hidratação da pele com o uso de filtro solar, hidratante, óculos, chapéu e roupas leves.

Confira nossa linha de dermocosméticos e cuide da sua pele com segurança.

Intoxicação alimentar e hídrica

O calor excessivo e o descuido com a procedência dos alimentos e água ingeridos são os principais fatores para a maior incidência de intoxicação alimentar e hídrica no período do verão. Os principais sintomas são diarréia, febre, náusea e vômitos. Para evitar a intoxicação, é necessário refrigerar alimentos de forma adequada, mantê-los longe do acesso de moscas e outros insetos, além de só consumir alimentos e bebidas de procedência segura. 

Chikungunya, Dengue e Zika

As três doenças são transmitidas pelo mesmo mosquito, o Aedes Aegypti. No verão, por conta da temporada de chuvas, a proliferação do inseto é maior. Para evitar a ação do mosquito e das doenças que ele pode transmitir, dois cuidados são essenciais: a eliminação de qualquer foco de água parada e o uso de um repelente para mosquitos, especialmente no início da manhã, fim da tarde e à noite.

Febre amarela

A doença, que pode ser fatal, é frequentemente transmitida pelo mosquito Haemagogus Janthinomys e tem como principais sintomas olhos e pele amarelados, náuseas e dores de cabeça. Ela acomete pessoas o ano inteiro, mas ganha destaque no período do verão e férias por conta do aumento no número de turistas que se deslocam para destinos tropicais e áreas de mata. A imunização é feita com apenas uma dose da vacina, com durabilidade pela vida toda. 

Este texto tem caráter informativo e não substitui a consulta médica. 

Clique aqui para acessar nosso e-commerce e conferir nossos produtos em destaque. Sempre consulte seu médico antes de utilizar um novo produto.

Leia mais:

Peles sensíveis e sensibilizadas: qual a diferença e como fazer a correta hidratação

3 hábitos saudáveis para promover a qualidade de vida de forma simples

Verão: proteja a sua pele dos raios ultravioleta



Fontes: Ministério de Saúde I Ministério da Saúde I Ministério da Saúde I Drauzio Varella I Drauzio Varella I SBD I SBD


Deixe um comentário

* Nome:
* E-mail:
   Website:
* Comentário: