Osteoartrite ou osteoartrose: conheça sintomas, fatores de risco e tratamentos

Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, dentro do conjunto de doenças conhecidas como reumatismos, a osteoartrite ou osteoartrose é a mais comum e representa de 30% a 40% dos diagnósticos em consultórios especialistas. Continue lendo para conhecer sintomas, fatores de risco e tratamentos!

O que é

A doença, também conhecida como artrite degenerativa ou artrose, é caracterizada pelo desgaste da cartilagem articular, localizada entre os ossos. Isso leva ao atrito ósseo, gerando os sintomas, e ainda pode provocar alterações de estruturas ósseas próximas, como os osteófitos (bicos de papagaio). 

O desgaste das cartilagens é natural ao organismo e após os 75 anos, grande parte das pessoas já apresenta sintomas clínicos e radiológicos da doença, embora nem sempre sinta dor crônica. O osteoartrite atinge ambos os sexos, com maior frequência nas mãos e os joelhos de mulheres e nas articulações coxofemorais (coxa e quadril) de homens. Além disso, a coluna é outra região frequentemente atingida pela doença. 

Compre medicamentos para o tratamento de doenças reumatológicas sem sair de casa

Fatores de risco e prevenção

A osteoartrite pode ser dividida em duas causas, conhecidas como primária e secundária. Na primária, grande partes dos casos não tem motivo aparente. Já as causas secundárias são muito diversas e estão relacionadas a outras doenças ou quadros clínicos, como traumas, defeitos das articulações e alterações do metabolismo. 

Atletas ou praticantes de atividades físicas de impacto ou de esforço repetitivo têm mais chances de desenvolver a doença, como jogadores de futebol e corredores. Além deles, trabalhadores da indústria têxtil, mineradores, agricultores e motoristas de veículos grandes também estão no grupo de risco para a osteoartrite, assim como profissionais que atuam em outras funções que envolvem a flexão repetitiva de uma ou mais articulações. 

Por outro lado, o exercício físico moderado, especialmente o aeróbico, é considerado um fator de prevenção. Além disso, manter um peso saudável para o biotipo corporal também é muito importante.

Sintomas da osteoartrose

A progressão da doença costuma ser lenta, com sintomas mais intensos apenas após os 40 anos e diagnósticos mais frequentes após os 60 anos. É comum que pacientes mais jovens não apresentem sintomas perceptíveis, mesmo que os exames radiológicos já confirmem a presença da osteoartrite. 

O sintoma mais importante é a dor que melhora com o repouso, piora com as atividades e é mais forte ao acordar e no fim do dia. Algumas pessoas também sentem dores ao mudar de posição durante o sono. Quando já são evidentes, os sintomas da osteoartrite ainda podem ser leves ou desaparecer por longos períodos:

- Dores e estalos nas articulações
- Rigidez passageira e diminuição da mobilidade
- Perda da flexibilidade
- Inchaço nas articulações

Nas mãos, a doença afeta principalmente as articulações das falanges distais (a última do dedo) e as falanges médias (no meio do dedo). Os dedos então ficam com articulações curvadas, com nódulos. Eles ainda podem apresentar vermelhidão, dor e inchaço intermitentes. 

Quando acomete os joelhos, pode causar dor e alargamentos. Nessa região, a limitação de movimentos é mais frequente. Nas regiões coxofemorais (quadril e coxas), a dor geralmente é sentida na virilha ou região lateral. Quando a doença atinge os dois lados, incapacita mesmo as atividades simples. Já na coluna, pode atingir dois lugares, a cervical baixa (no pescoço) e as últimas vértebras lombares (acima das nádegas).

Na Remed você encontra medicamentos especiais para diferentes necessidades, clique no link para conferir.

Diagnóstico e tratamento para artrose

A doença é crônica e, portanto, não tem cura. O tratamento é focado no controle dos sintomas e na busca pela qualidade de vida, sem dores e limitações.  Eles podem ser controlados com atividades físicas específicas, como reforço da musculatura e fisioterapia. Além disso, a manutenção do peso e os cuidados diários em relação a esforços repetitivos e movimentos de impacto são fundamentais. 

Quando há inflamação das articulações, o tratamento é feito com o uso de anti-inflamatórios por período limitado. Em alguns casos, cirurgias específicas são recomendadas. 

Fique atento, este texto tem caráter informativo. O acompanhamento médico é indispensável para a promoção da saúde e bem-estar, prevenção de doenças e diagnóstico precoce.

Fontes: Ministério da Saúde I SBR I Drauzio Varella I HSL I Instituto Trata I Manual Msd

Tags: reumatologia

Deixe um comentário

* Nome:
* E-mail:
   Website:
* Comentário: